“Obesidade diminui a expectativa de vida em até 10 anos”, alerta médica

diet-2-1323896-639x424

Considerada pela OMS (Organização Mundial de Saúde) uma doença em epidemia, a obesidade está longe de ser apenas um desafio individual a ser superado – estudos indicam que o excesso de peso já é a segunda maior causa de mortes no mundo. Segundo dados do Ministério da Saúde, 74% dos óbitos no Brasil acontecem por doenças associadas à obesidade. Apesar disso, ela não é vista como doença por grande parte das pessoas, incluindo os próprios pacientes.

Para atrair atenção sobre a gravidade da situação e fortalecer o olhar sobre a obesidade enquanto doença crônica, a ABESO (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica), em conjunto com a farmacêutica Novo Nordisk, lança a terceira edição da campanha Saúde não se pesa.

Depoimento: “Chega um momento que a gente relaxa”, diz artesã sobre o tratamento do DM tipo 2

O movimento está alinhado ao Dia Mundial da Obesidade, lembrado nesta quinta-feira (11 de outubro). Esse ano, com o mote “Obesidade é o que você não vê: chegou a hora de colocar uma luz sobre ela”, a intenção é fazer um alerta, colocando foco também nos perigos das doenças associadas ao excesso de peso, como diabetes e problemas cardiovasculares, e conscientizar que obesidade também é o que não aparece no espelho ou não se mede na balança. A campanha se propõe, ainda, a desconstruir o uso de clichês, evitar estigmas e esclarecer a definição de obesidade mostrando que, como qualquer patologia, ela requer acompanhamento médico.

Nutrição: Quais alimentos devem compor um prato saudável?

De acordo com a endocrinologista Maria Edna de Melo, presidente da ABESO, “a obesidade diminui a expectativa de vida em até dez anos e necessita de tratamento a longo prazo, mas ainda é uma doença negligenciada.

Estudos indicam que uma perda de 5% a 10% do peso em pessoas com obesidade traz benefícios expressivos à saúde, incluindo melhora dos níveis de glicemia, da pressão arterial, dos níveis de colesterol e da apneia obstrutiva do sono.

– Precisamos mostrar as verdades por trás da doença e que a obesidade pode ser controlada. Muito além de questões estéticas, a perda de peso traz mais saúde e pode, inclusive, significar mais tempo de vida a uma pessoa.

Segundo a OMS, o excesso de peso é uma epidemia acometendo mais de 1,9 bilhão de adultos em todo mundo. No Brasil, o Ministério da Saúde calcula que mais de 100 milhões de pessoas estão acima do peso.

As ações da campanha não se encerram no Dia Mundial da Obesidade e devem acontecer ainda durante os meses seguintes. No site da campanha é possível encontrar informações sobre a obesidade e as doenças relacionadas ao excesso de peso, além de conhecer os fatores que ajudam a determinar o peso de um indivíduo, entender como funciona o apetite de uma pessoa com obesidade e por que o organismo pode recuperar rapidamente os quilos perdidos. Também é possível calcular o IMC (Índice de Massa Corporal), ver os mitos mais comuns sobre a perda de peso e saber quais as ferramentas disponíveis para tratar a obesidade.

Conheça o Blog Saúde sem Neura