Verão sem micoses

009

Já falamos diversas vezes sobre o cuidado com os pés e agora com o calor chegando muita atenção aos seus pés!!!

Tida como comuns na época do calor, principalmente pela maior transpiração e também pela maior exposição psicinas e praias, as micoses não podem deixar de ser tratadas, porque estão entre as 5 maiores causas de amputamento de membros inferiores.

Por isso nunca é demais relembrar, OLHE SEUS PÉS DIARIAMENTE!! E procure seu médico até mesmo por causa de uma “inocente” micose!

Abaixo um ótimo texto da revista One Touch ComVida!

 

 

Verão sem micoses

O verão é a época de curtir a praia ou o campo, abusar das roupas coloridas e confortáveis, bronzear a pele e desfrutar o máximo da estação.

Porém, essa época também é marcada pelo o aparecimento freqüente de micoses na pele.

As micoses são infecções causadas por fungos, sendo que, dos mais de 200 mil tipos existentes, apenas cerca de 100 deles causam micoses que podem ser superficiais ou profundas. As micoses superficiais são chamadas também de “tineas”.

Elas são infecções causadas por fungos que atingem a pele, as unhas e os cabelos. De acordo com a Dra. Débora Cristina Sanches Pinto, Mestre em Cirurgia Plástica pela FMUSP, os fungos são encontrados por toda parte, inclusive no solo e nos animais, e até mesmo na nossa pele, sendo que neste caso convivem “harmonicamente” conosco, sem causar doença. “A queratina, que é uma proteína encontrada na superfície da pele, das unhas e dos cabelos, é seu alimento e quando as condições favoráveis para seu crescimento são atingidas os fungos se proliferam. Tais condições são: calor, umidade, queda de imunidade, estresse, uso de antibióticos por muito tempo, etc. Todos nós estamos constantemente sujeitos a adquirir micoses”, enfatiza a médica.

Já as micoses profundas são aquelas que atingem órgãos internos do organismo, disseminando-se pela corrente sangüínea e pelos vasos linfáticos. Podem atingir, por exemplo, pulmões, intestinos, ossos, sistema nervoso, entre outros, mas não vamos nos aprofundar nelas aqui.

Os sintomas mais freqüentes das micoses superficiais são: coceira, alterações da pele de forma variada de acordo com o tipo e a extensão da doença, podendo haver inclusive infecção bacteriana concomitante. “Todo o corpo pode ser afetado, mas no verão o mais freqüente é o acometimento das virilhas, pés e unhas. A doença, em geral, começa com uma pequena lesão avermelhada e a seguir ocorre uma descamação continuada associada à coceira,” diz Dra. Débora.

Seu aparecimento é mais comum no verão devido à chegada da estação mais quente do ano, isso porque nessa época a transpiração aumenta muito e assim também o contato com a água das piscinas e do mar deixando a pele úmida por muito mais tempo. Esta umidade associada ao calor favorece o aparecimento das micoses.

Nos pés a micose mais freqüente é a chamada “pé-de-atleta” ou frieira, ocorrendo entre os dedos e quando não tratada pode permitir a entrada de germes que, com o passar do tempo, além do mau cheiro podem chegar a provocar até erisipela.

De acordo com a cirurgiã, além da micose interdigital podem ocorrer outras formas na parte lateral do pé ou na planta causando descamação, coceira e mau cheiro (escamosa); bolhas pruriginosas e avermelhadas (desidrosiforme) e tipos mais raros avermelhados com bordas elevadas.

Nas unhas ocorre a chamada onicomicose que é provocada por leveduras. Inicia se na ponta das unhas deixando-as inicialmente amareladas, podendo causar dor ou incômodo e aos poucos acometer toda a unha, inclusive causando coloração escura e deformidade estética.

Existem medicamentos rápidos e de grande eficácia para o tratamento das micoses superficiais, contudo seu uso deve ser sob orientação médica. “Na maioria das lesões localizadas, o tratamento é apenas tópico, ou seja, no local, através de cremes ou loções. Nas lesões mais extensas ou recorrentes, muitas vezes é necessário o uso sistêmico de medicação antifúngica (via oral) em geral por um longo período. Nestes casos deve haver controle clínico e laboratorial, pois tais medicações podem causar efeitos adversos. Vale lembrar que nunca deve ser realizada a automedicação e em caso de suspeita de micose, seu médico deverá ser consultado e sua prescrição e orientações seguidas rigorosamente”, complementa a Dra. Débora.

Confira abaixo as dicas que preparamos para você não deixar a micose estragar seu verão.

Como se prevenir das micoses no verão

Seque bem os pés após o banho.

Prefira meias de algodão e troque-as todos os dias. Evite sapatos fechados e apertados.

Procure não andar descalço em pisos úmidos.

Seque bem o corpo.

Prefira roupas largas e ventiladas.

Evite usar roupas íntimas de material sintético.

Não use toalhas ou roupas íntimas de outras pessoas.

Evite detergentes e sabonetes perfumados.

Lave os cabelos em dias alternados, em água morna e não use pentes de outras pessoas.

Ao fazer as unhas, use somente instrumentos esterilizados.

Evite sol em excesso e água de mar e piscina (pitiriase versicolor é um tipo de micose que provoca manchas esbranquiçadas, especialmente no tronco e membros, e se associa muito a estes fatores).

Cuide bem da manutenção da imunidade, principalmente quem tem diabetes precisa examinar diariamente seus pés para evitar possíveis complicações.

Fonte: Revista OneTouch ConVida