Vacina contra gripe já está disponível gratuitamente para pessoas com diabetes

40614645653_8b73f17f77_z

Independentemente da faixa etária, se você tem diabetes tipo 1 ou 2 ou é portador de alguma doença crônica não transmissível, como hipertensão, asma, problemas cardiovasculares, entre outras condições clínicas especiais, já pode tomar a vacina contra gripe gratuitamente nos postos de saúde de todo Brasil. A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, que começou no último dia 10, vai se estender até 31 de maio. Entretanto, não deixe para a última hora!

Na hora de se vacinar, a recomendação do Ministério da Saúde é levar ao posto uma prescrição médica solicitando a vacinação contra a gripe e sua justificativa. O documento também precisa estar assinado pelo médico. Em contrapartida, os pacientes que já fazem parte dos programas de controle das doenças crônicas do Sistema Único de Saúde (SUS) devem se dirigir aos locais que estão cadastrados para receberem a vacina.

Leia mais: Veja como se proteger das gripes e resfriados

Além dos pacientes crônicos, podem receber a imunização gratuitamente trabalhadores de saúde; povos indígenas; puérperas (mulheres até 45 após o parto); idosos (a partir dos 60 anos); professores das redes pública e privada, população privada de liberdade, incluindo adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medida socioeducativa, funcionários do sistema prisional, gestantes e crianças de seis meses a menores de seis anos (5 anos, 11 meses e 29 dias).

Veja também: 10 dicas para não engordar no inverno

A escolha dos grupos que podem receber a vacina sem custo segue a recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS). Essa definição também é baseada em estudos epidemiológicos e no comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da gripe. Por isso, são priorizadas as populações com maior chance de complicações e óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave.

O dia D de mobilização, em que postos de todo o Brasil estarão abertos, será 4 de maio. A meta do Ministério da Saúde é vacinar pelo menos 90% de cada um dos grupos prioritários.

Foto: Divulgação Ministério da Saúde