Pâncreas artificial pode chegar em 2018

Karen Barefoot / Free Images

Karen Barefoot / Free Images

Um equipamento revolucionário que funcionaria como um pâncreas artificial pode ser uma realidade para os portadores de diabetes em dois anos. De acordo com artigo publicado no site Daily Mail, o dispositivo tem o tamanho de um celular Iphone e não só monitora os níveis de glicose no sangue como também injeta automaticamente a insulina.

Atualmente, o mercado já disponibiliza a bomba de insulina que exerce essas funções separadamente, assim “a união dos dois dispositivos fecha o circuito e forma o pâncreas artificial”, explicam os autores do experimento, Roman Hovorka e Hood Thabit, da Universidade de Cambridge, no Reino Unido.

– Em testes realizados até o momento, os pacientes avaliaram de forma positiva o uso do pâncreas artificial, que permite um descanso do controle do diabetes, além de o sistema gerenciar os níveis de açúcares no sangue de forma efetiva, sem a necessidade de monitoramento constante.

Apesar de revolucionário, os pesquisadores ainda têm alguns desafios pela frente. Eles pontuaram que precisam ajustar a velocidade de ação da insulina, confiabilidade, conveniência, precisão e segurança cibernética do aparelho.

O diabetes tipo 1 é uma doença autoimune causada pelo próprio organismo que destrói as células beta produtoras de insulina. Exatamente pela ausência na produção do hormônio, os pacientes são obrigados a injetar insulina várias vezes ao dia após o diagnóstico da doença. Geralmente, o diabetes tipo 1 aparece na infância ou adolescência, mas também pode acometer adultos jovens.