Obesidade pode provocar danos permanentes no joelho

Crédito da foto: UConn Rudd Center for Food Policy & Obesity

Crédito da foto: UConn Rudd Center for Food Policy & Obesity

O mais recente levantamento sobre obesidade no Brasil aponta que 18,9% da população está obesa e 54% com sobrepeso. Os números são da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção de Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) e mostram a preocupante realidade do país. Além das doenças metabólicas, a obesidade pode provocar problemas ortopédicos e danos permanentes nos joelhos, alerta o ortopedista Rene Abdalla, diretor médico do Instituto do Joelho do HCor.

– Temos vários estudos que comprovam que devido à sobrecarga o surgimento da artrose é quase inevitável. O desgaste da cartilagem que protege as extremidades dos ossos que se ligam ao joelho é muito grande. Além disso, o excesso de peso reduz a mobilidade e aumenta a possibilidade de lesões futuras.

Exercício físico faz parte do tratamento do diabetes. Você concorda?

Uma das maneiras de atenuar esse desgaste da cartilagem é investir em programas de perda de peso, seja por meio de dietas, reeducação alimentar e atividade física orientada. Mas o desgaste que foi feito dificilmente poderá ser recuperado.

– Os pacientes, após significativa perda de peso, sentem-se mais confortáveis e com indicação de prática de exercícios. Muitos começam a exigir mais dos joelhos. Nesse momento sentem os efeitos do antigo sobrepeso.

Leia também: Música e ar livre melhoram o desempenho durante o exercício

Para evitar lesões mais graves o paciente deve procurar orientação especializada antes de iniciar qualquer tipo de exercício, principalmente os que exigem muito dos joelhos desgastados.

– Esse paciente em especial precisa, antes de tudo, fortalecer a musculatura da região para ter a certeza de que está preparado para iniciar uma atividade física com uma margem de segurança.

Dicas importantes

1 – Procure um especialista para orientações sobre como iniciar a prática do exercício físico.

2 – Alongue a musculatura para preparar o corpo antes de iniciar a atividade.

3 – Fique atento aos exercícios praticados e procure uma série que melhor se ajuste as suas necessidades. Cuidado para não sobrecarregar os joelhos.

4 – Intercale atividades, por exemplo, corrida com musculação.

5 – Escolha calçados que protejam os membros inferiores de impactos e movimentos repetitivos.

6 – Ao primeiro sinal de dor, pare os exercícios imediatamente e procure o especialista para nova avaliação.