Novembro Azul: vamos falar de câncer de próstata?

Divulgação/ Hospital Israelita Albert Einstein

Divulgação/ Hospital Israelita Albert Einstein

Novembro é considerado o mês azul por ser o período de conscientização do diabetes e também do câncer de próstata. Você sabia que este é o segundo tumor mais incidente no público masculino e que o sucesso do tratamento depende do estágio em que a doença é diagnosticada? Por isso, a Sociedade Brasileira de Urologia recomenda a realização do exame de toque a partir dos 50 anos. Já para os homens que possuem histórico familiar da doença o rastreamento deve começar a partir dos 45 anos.

Segundo o urologista Bruno Mello, professor adjunto da Faculdade de Medicina da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais, o câncer de próstata se manifesta de forma silenciosa, por isso a necessidade da prevenção para que seja descoberto em estágio inicial.

– Ainda existe muita resistência em fazer os exames para detectar a doença. Apesar de alguns serem incômodos, o checkup anual é necessário para manter a saúde em dia. Após a primeira checagem e, dependendo dos resultados, a frequência dos testes deve ser discutida com cada um dos pacientes considerando os seus valores pessoais e as suas expectativas.

Em estágios mais avançados, o indivíduo pode ter dificuldade para urinar, alterações da frequência urinária e, ainda, ter sangue nas fezes ou urina e até dores ósseas quando já em situação de metástase (quando o câncer se espalha para outros órgãos).

A maior preocupação masculina é em relação a incontinência urinária e impotência sexual decorrentes do tratamento. De acordo com o radio-oncologista Leonardo Pimentel, existe essa possibilidade, mas não é uma regra.

– Quanto mais cedo ele for diagnosticado, menos agressivo será o tratamento e, logo, menos riscos de ocorrer a disfunção erétil. Ainda, segundo o especialista, a braquiterapia é um dos recursos que pode ser utilizado para o tratamento da doença e também está entre os que causam menor índice de disfunção erétil, em comparação com a cirurgia. O procedimento é benéfico pelo fato de levar a radiação de forma mais localizada.

Quem quiser saber mais sobre o câncer de próstata, o Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, realizará no dia 8 de novembro um encontro para discutir métodos de prevenção, diagnóstico e reforçar a importância dos cuidados com a saúde do homem. O urologista Gustavo Lemos e o oncologista Óren Smaletz conduzirão o debate, que acontecerá das 17h30 às 19h, no auditório do próprio hospital. O evento é aberto ao público e as inscrições são gratuitas pelo site relacionamentooncologia@einstein.br