Mito ou verdade: diabetes causa catarata?

searching-the-skies-1541868-640x480

Provavelmente, você já ouviu de algum palpiteiro que o diabetes causa catarata. Antes de esclarecer essa questão, é importante entender que a catarata é uma alteração ocular que aparece com o avanço da idade e torna o cristalino opaco, ou seja, deixa a visão nublada e, se não tratada, pode levar à cegueira.

Embora seja uma condição passível de correção com cirurgia, a catarata é responsável por 51% dos casos de perda da visão no mundo, de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde). No Brasil, a estimativa é que existam 2 milhões de portadores e 550 mil novos casos por ano, conforme estimativa da Sociedade Brasileira de Oftalmologia.

Para a oftalmologista Heloisa Nascimento, do Instituto de Visão da Paulista (IPEPO) – entidade sem fins lucrativos, de caráter filantrópico, fundado por docentes do Departamento de Oftalmologia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Escola Paulista de Medicina – um dos motivos para este cenário alarmante é a falta de informações precisas sobre a doença e, em especial, sobre a cirurgia.

Confira abaixo 5 mitos ou verdades sobre a catarata!

1. O diabetes é fator de risco para o surgimento da catarata.

VERDADE. O diabetes é uma doença silenciosa que, se não for controlada adequadamente, compromete diferentes órgãos, incluindo o olho. Há diversas pesquisas e estudos que alertam sobre a incidência da catarata em pacientes diabéticos, principalmente pelos altos níveis glicêmicos no sangue. Assim como o diabetes, há outras causas secundárias da catarata, como uso crônico de corticoide, doenças metabólicas, trauma e exposição excessiva aos raios ultravioletas.

Blog Saúde sem Neura: Vista cansada ou presbiopia tem tratamento

2. É preciso esperar “amadurecer” a catarata para realizar a cirurgia.

MITO. Segundo a médica, o procedimento cirúrgico é indicado sempre que a doença interferir no cotidiano de qualquer pessoa. Antigamente, a cirurgia da catarata era mais complexa, porque envolvia internação, anestesia geral e um pós-operatório restritivo. Nos últimos anos, o procedimento ficou muito mais seguro para os pacientes. Hoje, eles já saem no mesmo dia do hospital.

Leia também: 10 fatos importantes sobre o edema macular diabético

 

3. Colírios podem curar a catarata.

MITO. O tratamento da catarata só é possível por meio da cirurgia. Com uso de anestesia tópica é feito uma incisão de dois milímetros no olho, por onde um aparelho – que lembra um canudinho –, irá aspirar o conteúdo da catarata no cristalino. Em seguida, é implantada uma lente intraocular atrás da íris (parte colorida dos olhos). Essa prótese que restabelece a visão dos pacientes pode também ter um grau específico para cada um, permitindo enxergar bem sem o uso dos óculos.

Veja: “Quase fiquei cega”, diz jovem sobre negligencia com o diabetes

 4. A catarata pode atingir qualquer faixa etária.

VERDADE. A catarata senil faz parte do envelhecimento comum da população. Assim como vamos ficar com cabelos brancos, vamos ter catarata. Ela é uma realidade e um dia todos teremos que fazer a operação corretiva. Existem, no entanto, outros tipos de catarata, como a congênita que se manifesta na infância ou por causas secundárias, que pode aparecer em qualquer idade.

 5. A catarata pode voltar após a cirurgia.

MITO. A catarata é curável. Uma vez substituído o cristalino por uma lente intraocular, a doença não retornará. O que pode ocorrer é um processo de opacidade da cápsula posterior em que se coloca a prótese. Para resolver essa situação, é recomendado realizar uma espécie de polimento da lente à laser – procedimento feito no ambulatório de forma rápida e indolor.

Crédito de foto: FreeImages