Essa tal “Endorfina”…

068

– Aumento das sensações de bem-estar e prazer;
– Diminuição do estresse e da ansiedade;

Acredito que apenas esses dois benefícios já levam muitos a praticar atividade física, certo?
A responsável por eles é a Endorfina: “endo” (interno) e “morfina” (analgésico), ou seja, tem as propriedades da morfina, produzida pelo nosso organismo.

Já ouviu falar que exercício vicia? A quem seja viciado pelas sensações provocadas por ter feito atividade física e não pelo próprio exercício; esta dependência causada pelo exercício é atribuída às concentrações elevadas de “endorfina”.

A liberação desse hormônio (neurotransmissor) depende diretamente das características do exercício praticado, numa escala onde 0 (zero) é o repouso e 10 (dez) a exaustão, a intensidade entre 6 e 7 seria a adequada.

Desde o início da atividade ela vai sendo liberada, porém em determinado momento (o chamado “segundo fôlego”) atinge um limiar de produção, surge a sensação de bem-estar que persiste mesmo depois do término do exercício.

É um mecanismo provocado pela adaptação do corpo ao exercício, além da intensidade é necessário que o exercício tenha uma duração prolongada, claro que dependendo do condicionamento físico de cada praticante, e que a atividade seja agradável, ninguém libera endorfina se estiver sofrendo.

O que a Endorfina faz no nosso corpo?
? Melhora a memória;
? Melhora o estado de espírito (bom humor);
? Aumenta a resistência;
? Aumenta a disposição física e mental;
? Melhora o nosso sistema imunológico;
? Bloqueia as lesões dos vasos sanguíneos;
? Têm efeito antienvelhecimento, pois remove superóxidos;
? Alivia as dores.

Que tal? Está bom pra você? Então vamos lá, escolha a sua atividade e que venha a “Endorfina”!

Tire suas dúvidas sobre atividade física com a educadora física Cecília Cardim clicando aqui!

CECÍLIA QUELHAS CARDIM
(Educadora Física)