Diabetes e Gravidez

017

Nas últimas décadas um número crescente de mulheres com diabetes engravidam. A melhora das opções terapêuticas vem permitindo que mulheres com diabetes tipo 1 cheguem á idade fértil em condições de engravidar. Além disso, nos últimos anos, devido a gestações mais tardias e prevalência de obesidade, também vem sendo observado um aumento progressivo do número de gestações em mulheres com diabetes tipo 2. Na faixa etária de 20 a 44 anos, onde se encontra a maioria das mulheres em idade fértil, a prevalência do diabetes deverá dobrar nos próximos 20 anos.

A mulher com diabetes pode engravidar?

O diagnóstico de diabetes não inviabiliza a gestação, entretanto, alguns cuidados precisam ser tomados antes mesmo da gravidez que deve ocorrer quando o diabetes estiver bem controlado.

As pacientes com diabetes mellitus, que estejam em idade fértil, devem manter os níveis de hemoglobina glicada (HbA1c) o mais próximo possível dos valores normais, sem a ocorrência de hipoglicemias . O nível recomendado de HbA1c é < 6%, quando se utiliza o método HPLC ou até 1% acima do valor máximo informado pelo laboratório de análises clínicas onde os testes são feitos. Este controle deve ser idealmente alcançado antes da pessoa engravidar. O alcance de níveis de HbA1c normais, nas fases iniciais da gravidez, quando, frequentemente a mulher ainda desconhece que está gestando, reduz o risco de malformações fetais e abortamentos. Mulheres com HbA1c acima de 10% devem evitar a gravidez até alcançarem melhor controle glicêmico.

Mulheres que não utilizam métodos contraceptivos e aquelas que descobrem a gravidez devem comunicar imediatamente o seu médico. O uso de alguns medicamentos, como por exemplo, drogas para reduzir o colesterol e alguns antihiperetensivos, não podem ser mantidos durante a gestação. Já o uso da insulina é considerado seguro na gravidez.

Quais os cuidados necessários para uma gravidez com menos riscos?

O controle inadequado do diabetes no 2º e 3º trimestres pode levar a complicações no recém-nato como o aumento do risco de macrossomia (peso excessivo), hipoglicemia e síndrome da angustia respiratória. Para minimizar complicações fetais, recomenda-se manter a glicemia de jejum: < 95 mg/dl e glicemia 1 hora após início da alimentação (pós-prandial) até 140 mg/dl ou 2 horas pós-prandial até 120 mg/dl.
Para alcançar as metas, a insulina deverá ser utilizada por todas as mulheres com diabetes pré-gestacional. A dose necessária de insulina, assim como a composição da dieta, deve ser individualizada e será modificada ao longo da gestação. Gestantes obesas e aquelas que já se encontram no 3o trimestre necessitam de doses mais elevadas de insulina.
Os exercícios físicos ajudam no controle do diabetes, mas devem ser realizados somente quando indicados pela equipe médica.

Qual a melhor época do parto para a gestante com diabetes?

A gestação complicada pelo diabetes não é uma indicação absoluta de cesariana ou de indicar interrupção antes de chegar o termo (9 meses). Nas gestantes bem controladas a indicação do tipo (normal ou cesareana) e do momento do parto é determinada pelo obstetra que avaliará o tamanho do feto e a capacidade do colo uterino. A interrupção da gravidez está indicada sempre que a saúde fetal ou materna estiver comprometida, independente da idade gestacional.

Dra. Lenita Zajdenverg
Professora adjunta da Universidade Federal do Rio Janeiro
Coordenadora do serviço de diabetes e gravidez da Maternidade Escola da UFRJ

Dr. Carlos Antonio Negrato
Coordenador do Departamento de Diabetes Gestacional da Sociedade Brasileira de Diabetes

Fonte: http://www.diabetes.org.br/sala-de-noticias/2324-diabetes-e-gravidez