Com 30kg a menos, Mônica controla a pressão e participa da Meia do Rio

002b

night_run_nov._2014

Diabética e hipertensa, carioca ouviu do médico que sua vida dependia da corrida. Se apaixonou pelo esporte, emagreceu, ganhou saúde e corre 21km aos 57 anos.

Sedentária, diabética e hipertensa, Mônica Vieira tinha 52 anos quando decidiu cuidar de sua saúde. Se matriculou na academia cortou os doces da alimentação que já era saudável e, de forma gradativa, passou dos 105kg para os 75kg.

– Eu emagrecia e depois engordava de novo, vivia em um corpo elástico, cheguei a pesar mais de 100kg. Só em 2009 me conscientizei de que não poderia mais ser assim. Decidi emagrecer porque, além de me sentir feia, estava com a saúde comprometida. E sempre haveria o risco de entrar em coma por conta da diabete.

Um ano depois, embora tivesse emagrecido, continuava a sofrer de pressão alta e diabetes. Os remédios não eram capazes de controlar as doenças, e a única solução era recorrer à cirurgia bariátrica.

– A cirurgia foi realizada em outubro de 2010. Em janeiro do ano seguinte, o médico disse que a minha vida dependia de começar a correr. Ele queria que eu estivesse correndo 40 minutos em seis meses.
Em março, a carioca começou a se exercitar na esteira da academia sob a orientação de um personal trainer. Alternando trotes com caminhadas, chegou aos 40 minutos antes do que ela mesma esperava.

– Antes do dia 27 de abril, eu já corria os 40 minutos, mas não fazia ainda os 5km. Por determinação, estipulei que até meu aniversário, uma semana depois, eu correria os 5km. E assim foi.

Mônica evoluiu para os 8km, depois para 10km e alcançou os 21km. Hoje sua saúde não depende de nenhuma medicação, apenas da corrida. Aos 57 anos, ela pesa 60kg e chega a correr até sete vezes por semana. Mas a maior conquista da consultora jurídica foi descobrir ser capaz de muito mais do que ela mesma imaginava.

002b
Mônica em 2010, ainda muito acima do peso, e em 2013, após descobrir sua paixão pela corrida (Foto: Arquivo pessoal)

 

– Aprendi a me amar, aprendi que sou capaz de quase qualquer coisa e aprendi que eu amo correr. Sinto muita diferença, no meu bem estar de forma geral. Hoje respiro melhor, tenho mais disposição para tudo o que faço durante o dia e durmo melhor. Não sofro mais de pressão alta e minha glicemia é baixa.

Prestes a participar da Meia Maratona Internacional do Rio de Janeiro, no dia 30 de agosto, ela espera que sua segunda participação na prova supere a anterior. Desta vez, Mônica também pretende aproveitar o belo visual do percurso.

– Desta vez, quero enxergar a beleza do trajeto mais do que na edição anterior. Hoje em dia, por causa do trabalho, não posso treinar grandes distâncias, mas corro diariamente. Se eu não corro, parece que meu dia ficou incompleto. A corrida me ensinou que, quando a gente quer, a gente pode. É só ter determinação e não inventar desculpas.

 

Fonte:

Por Luma Dantas
Rio de Janeiro
http://globoesporte.globo.com/eu-atleta/corridas-e-eventos/meia-maratona-rj/noticia/2015/07/eu-vou-monica-comeca-correr-para-sobreviver-e-participa-da-meia-do-rio.html