Chega ao mercado a 1ª insulina glargina biossimilar

3.1 Basaglar Product Photos - ABASAGLAR_KwikPen

Indicada para o tratamento do diabetes, a primeira insulina glargina biossimilar, chamada de Basaglar, foi desenvolvida por meio de uma aliança firmada entre as indústrias farmacêuticas Eli Lilly e Boehringer Ingelheim.

Por meio de estudos, foi comprovado que Basaglar é um medicamento biológico com similaridade em relação a seu medicamento referência em termos de qualidade, segurança e eficácia.

Blog Saúde sem Neura: 10 mitos (ou verdades) sobre o diabetes tipo 2

Outro diferencial do produto, segundo Marcela Caselato, gerente médica de Diabetes da Lilly, é que a insulina chega ao mercado com custo cerca de 70% menor que o medicamento de referência.

– Com o lançamento, passamos a contar com uma nova opção de insulina glargina igualmente eficaz ao medicamento biológico de referência que, além de mais acessível, oferece um conjunto de ferramentas para apoiar o paciente em sua jornada de tratamento, características extremamente importantes no manejo de doenças crônicas, como o diabetes.

Leia também: Anvisa libera uso de FreeStyle Libre em crianças

Como explicou a executiva, o Programa de Suporte ao Paciente auxilia as pessoas com diabetes, incluindo seus familiares ou cuidadores, em suas jornadas de tratamento. No site www.comecemelhor.com.br estão disponíveis vídeos educativos para facilitar o início do tratamento com insulina.

O programa ainda disponibiliza orientações online gratuitas, agendadas conforme a disponibilidade do paciente e conduzidas por profissionais de saúde para esclarecer dúvidas sobre como aplicar corretamente a insulina e como armazenar o medicamento, por exemplo.

Eficácia e segurança

A aprovação regulatória de Basaglar® foi autorizada com base em cinco estudos clínicos de fase 1 que estabeleceram a equivalência entre os perfis de farmacocinética (percurso do medicamento dentro do corpo humano) e farmacodinâmica (efeitos da ação do medicamento no corpo humano) de Basaglar® e da insulina glargina de referência.

Outros dois estudos clínicos de fase 3, um conduzido em pacientes com diabetes tipo 1 e outro em pacientes com diabetes tipo 2, confirmaram que os perfis de eficácia, segurança e imunogenicidade (tipo de reação alérgica ao medicamento) dos dois produtos são comparáveis, utilizando-se padrões bastante rigorosos de similaridade.

O produto está disponível em canetas descartáveis e refis para canetas reutilizáveis. O dispositivo vem pronto para uso, tem manuseio fácil e intuitivo, permite ajustar a dose e confirmar sua aplicação, a agulha não fica visível e funciona pelo acionamento de um botão, evitando que o paciente perfure manualmente a própria pele.