Alimentação: uma aliada da mulher

001

Uma alimentação diferenciada e apropriada para as mulheres pode contribuir para uma vida mais saudável. Em geral a alimentação deve ser equilibrada tanto em relação à quantidade quanto a qualidade do que se ingere.

Os alimentos que fazem parte do nosso prato no dia a dia têm a mesma propriedade para todas as pessoas. No entanto, os benefícios reais dependerão das necessidades nutricionais de cada pessoa e de seus hábitos de vida.

Fazer dietas da moda podem trazer perdas no equilíbrio nutricional. Todos os alimentos devem fazer parte desse equilíbrio, nada deve ser deixado de fora.

No entanto existem alimentos que devem ser evitados ou ingeridos em menor proporção. Porém essa tomada de decisão deve ser sempre indicada e acompanhada por um profissional da saúde que irá indicar os rumos da sua dieta.

ANEMIA

As mulheres têm mais tendência à anemia por conta da perda de sangue mensal na menstruação. Por isso é preciso ficar mais atentas às fontes de ferro e ácido fólico.

Entre as fontes de ferro podemos citar: carne, fígado, feijão e folhas verde escuras como espinafre, couve. Estas últimas tem a maior absorção do ferro quando associados a alimentos fonte de vitamina C, como limão, laranja, goiaba e morango. Dica: Suco de limão com folhas de couve frescas!

É recomendado também o consumo diário de fibras, importantes para evitar a constipação intestinal, mais comum nas mulheres.

É bom evitar as comidas ricas em sódio como embutidos e salgadinhos industrializados, principalmente para prevenir os inchaços e a hipertensão. Uma dica é conversar com o seu médico a respeito da substituição do sal de cozinha pelo LiteSalt, que é feito com 66% menos sódio que o sal comum.

MENOPAUSA

Devido a baixa nos níveis de estrógeno, que ocorre no período do climatério (fase que antecede o fim da menstruação), ocorre uma diminuição do colágeno que provoca a perda da elasticidade da pele e dos vasos sanguíneos.

À medida que a produção de estrógeno cai, as taxas de colesterol e triglicérides no sangue tendem a aumentar, a absorção do cálcio pelos ossos fica prejudicada e aparecem os riscos para o desenvolvimento das doenças cardiovasculares e osteoporose.

Tudo isso, em um acerta proporção, pode ser compensado com a alimentação.

A mulher que estiver nessa fase faz bem em redobrar os cuidados com o cardápio controlando o consumo de alimentos gordurosos, sal e açúcar e ingerindo diariamente, no mínimo, cinco porções de hortaliças e grãos. Não podemos esquecer do peixe, 2 x por semana, e sem fritar!

Além disso, a mulher deve aumentar o consumo de alimentos fontes de cálcio como leite e iogurtes desnatados, queijos brancos e magros, soja e seus derivados. Incluir na dieta a ingestão de 2 a 3 três porções por dia é uma boa opção.
Uma recomendação importante é aumentar o consumo de frutas, verduras, legumes e fibras que promovem a saciedade e auxilia na manutenção do peso.

Para combater as gordurinhas localizadas, reduza o consumo de doces e troque o açúcar por adoçante. Evite consumir doces a noite, este é o pior período, pois o seu organismo está reduzindo o gasto calórico, assim as calorias do açúcar serão armazenadas na camada subcutânea da pele! Se houvesse um melhor horário para consumir doces seria antes de praticar atividade física!

Também é importante, ao longo do dia, tomar muita água e chás de folhas verdes como cidreira e hortelã.

Além dos cuidados com a alimentação, é importante a mulher não ter o hábito de fumar, evitar bebidas alcoólicas, praticar exercícios físicos regularmente e realizar exames médicos periódicos para o controle da glicemia, pressão arterial, níveis de colesterol e triglicérides.

No mais, não tomar nenhum medicamento ou suplemento nutricional por conta própria também é importante. E claro fazer um acompanhamento médico e nutricional.

Se cuidem!