8 temperos que podem substituir o sal

 

Crédito de foto: FreeImages

Crédito de foto: FreeImages

O sódio, na medida certa, é necessário ao organismo humano, pois, juntamente com o potássio, contribui para manter o equilíbrio da quantidade de água nas células e o ritmo cardíaco. Entretanto, seu consumo em excesso está relacionado ao aumento no risco de doenças crônicas não transmissíveis, como hipertensão arterial, problemas cardiovasculares e renais, responsáveis por 63% dos óbitos no mundo e 72%, no Brasil. Segundo o Ministério da Saúde, um terço dessas mortes ocorre em pessoas com idade inferior a 60 anos.

A OMS (Organização Mundial de Saúde) recomenda a ingestão máxima diária de 2 g de sódio. Isso corresponde a 5 g de sal (uma colher de café contém um grama), avisa a nutricionista Cibele Gonsalves, diretora do Departamento de Nutrição da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP).

– Se fizéssemos isso, reduziríamos as mortes por acidentes vasculares cerebrais e os óbitos por infarto. Essa mudança depende exclusivamente de uma nova atitude de cada cidadão, perante sua própria saúde e de sua família.

A nutricionista lista oito opções de temperos naturais, que podem substituir o sal. Veja a lista abaixo!

1 – Orégano

2 – Noz-moscada

3 – Páprica

4 – Alecrim

5 – Limão

6 – Gengibre

7 – Cheiro-verde

8 – Alho

E sabe quais são os outros benefícios desses temperos. A nutricionista explica.

– De maneira geral, esses temperos naturais atuam como coadjuvantes na prevenção dos fatores de risco para as doenças crônicas não transmissíveis, pois aumentam o HDL-c (bom colesterol), auxiliam na regulação da pressão arterial e têm ação antioxidante. Além disso, contêm polifenóis, que atuam como anti-inflamatório. Apresentam em sua composição, vitaminas do complexo B, incluindo C e A. Todos esses componentes agregam benefícios que o sal não apresenta. Sendo assim, vale a pena a substituição.

Confira 5 dicas para melhorar a qualidade da sua alimentação

Recentemente, o ministério anunciou que a indústria de alimentos fará mudanças na composição dos produtos, a fim de cumprir um acordo para reduzir a quantidade de sódio. A meta é retirar um total de 28,5 mil toneladas da substância dos alimentos industrializados até 2020. Nessa fase, o foco é reduzir o sódio de pães, bisnaguinhas e massas instantâneas. Além de prevenir outras doenças, a medida contribuirá para a diminuição da população hipertensa no Brasil, que era de 17 milhões de pessoas em 2016, segundo estatísticas oficiais da pasta.