7 mitos e verdades da hipertensão

Foto: FreeImages

Foto: FreeImages

A hipertensão arterial atinge 30 milhões de brasileiros e é a principal causa de morte no Brasil. Para você ficar fora desta estatística, veja os 7 principais mitos e verdades sobre a doença. Quem responde é o cardiologista Antônio Alceu dos Santos, membro da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). Veja!

 

Retirar o sal da comida me protege contra o aumento da pressão arterial.

MITO. O sal é apenas um fator de risco para aumento da pressão. Temos que nos atentar para diversos alimentos industrializados, como macarrões instantâneos, temperos prontos, entre outros, que são ricos em sódio. Isso merece atenção no país, já que o brasileiro consome, em média, o dobro da quantidade de sal recomendada pela Organização Mundial de Saúde, que aponta 5g de sal de cozinha como máximo a ser ingerido diariamente.

 

O estresse aumenta a pressão arterial.

VERDADE. O estresse mental leva à maior estimulação do sistema nervoso simpático e, consequentemente, elevação dos valores de pressão arterial, redução da circulação de sangue nas coronárias, aumento do consumo de oxigênio pelo músculo cardíaco e aumento da instabilidade elétrica no coração, podendo ocasionar arritmias cardíacas e infarto agudo do miocárdio.

 

A hipertensão é mais comum entre as mulheres.

MITO. No Brasil, verifica-se uma prevalência de 35,8% nos homens e de 30% em mulheres. Em um estudo de revisão sistemática de 2003 a 2008, em 35 países, revelou uma média global de 37,8% em homens e 32,1% em mulheres. Porém, após a menopausa, a situação se inverte, com maior preponderância da doença no público feminino. Isso por causa da perda do estrogênio, protetor natural do sistema arterial.

 

O álcool atrapalha o controle da pressão arterial.

VERDADE. A relação está ligada à quantidade ingerida. O maior consumo de bebida, claramente, eleva a pressão e está associada ao maior risco de morte por doenças cardíacas. Àqueles que têm o hábito de ingerir bebidas alcoólicas, recomenda-se que não ultrapassem 30 g de etanol ao dia para homens, e 15 g para as mulheres.

 

A hipertensão não apresenta sintomas.

VERDADE. Na maioria das vezes, não há sintomas. Em pouquíssimos casos podemos ter dor de cabeça, barulho no ouvido (zumbidos), visão turva, tontura, dor no peito, palpitações, e outros.

 

Quem possui a pressão alta corre mais riscos de ter infartos.

VERDADE. A hipertensão arterial é um fator de risco potente e independente para infarto agudo do miocárdio. Essa correlação foi demonstrada em diversos estudos e a redução do risco de doenças cardiovasculares, através do controle da hipertensão, foi documentada em inúmeros estudos clínicos de prevenção primária. De acordo com uma pesquisa da Seven Countries Study, cada aumento médio de 10 mmHg da pressão arterial sistólica na população, corresponde à duplicação do risco de óbito por infarto do miocárdio.

 

Hipertensão tem cura.

MITO. O fator hereditário está presente em mais de 90% dos casos e, nesses, a hipertensão arterial não pode ser curada. Mas, pode e deve ser controlada. Os principais casos específicos de cura são: recessão de tumor de suprarrenal, correção de coarctação da aorta, hiperparatireoidismo, hipertireoidismo, tratamento da apneia do sono.